Agronegócio é um dos setores que mais geram emprego no país

Por
0 0 0 Sem comentários

A economia brasileira está totalmente atrelada ao agronegócio. Aliás, este é um dos setores mais importantes para o desenvolvimento do país. Para se ter uma ideia, em 2017 o agronegócio foi responsável por mais de 44% das exportações no Brasil, ultrapassando os US$ 96 bilhões; e em 2018 foi ainda maior, atingindo recorde nominal de US$ 101,7 bilhões. Fato é que não poderia ser diferente, afinal, estamos em solo fértil, somos referência em carnes bovina e de frango, soja, café, entre outros… Mas para manter e aprimorar esse cenário, o mercado precisa de muitos profissionais qualificados. Nesse rol está também o gestor em agronegócio.

Uma área que andou na contramão da crise, pois de acordo com dados da consultoria de recrutamento Michael Page, as contratações no agronegócio aumentaram em 25% entre 2016 e 2017. Emprego garantido! Isso porque a população mundial aumenta a cada ano, e a produção de alimentos também deve crescer na mesma proporção.

Ocorre que somente cuidar da produção não basta! É necessário garantir a qualidade dos alimentos, se preocupar com questões sanitária, ambiental e social, assim como buscar recursos que fortaleçam desde o plantio até a comercialização do produto, por exemplo. Tudo isso é tarefa do gestor em agronegócio.

Esse profissional pode exercer diferentes funções, como ser gerente de produção em empresas rurais e agroindústrias, gestor ambiental em implantação de empreendimentos do agronegócio, entre diversas outras possibilidades. Durante a formação acadêmica, o aluno de Agronegócio tem contato com disciplinas como Produção Animal e Vegetal, Cadeia Produtiva do Leite e da Carne, Cadeia Produtiva do Milho e da Soja, Gestão Ambiental, Administração Financeira, Logística, Mercado do Agronegócio, Marketing e Legislação, entre outras.

 

TECNOLOGIA NO CAMPO
Se você pensa que a vida no campo não combina com a tecnologia, saiba que isso é coisa do passado… Os recursos tecnológicos tornaram-se fundamentais tanto na agricultura como na pecuária. Conceitos como agricultura de precisão, Big Data e internet das coisas estão cada vez mais presentes no dia a dia dos produtores brasileiros.

Um levantamento da Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão (CBAP) apontou que 67% das propriedades agrícolas do Brasil usam algum tipo de inovação tecnológica em seus processos produtivos. Existem até aplicativos que alertam o produtor de leite quando é hora de colocar cada vaca para reproduzir, bem como quando é hora de desmamar um bezerro. Também têm fazendas que utilizam o processo conhecido como “do pasto ao prato”, um rastreamento completo do gado por meio de um brinco eletrônico.

Outro exemplo são os drones circulando pelo campo para captar imagens georreferenciais em tempo real, o que permite diagnosticar falhas na semeadura e mostra erros na cobertura de vegetação para plantio direto. Destaque também para o big data, um sistema inteligente de armazenamento e análise de dados que tem como objetivo a rastreabilidade, predição e prescrição de manejos nos sistemas de produção.

Como você pode perceber, as ideias inovadoras são bem vistas no agronegócio e formam mais um nicho neste mercado. As startups, por exemplo, vêm ganhando destaque e estão contribuindo para uma transformação na agricultura e pecuária. Então, se você gosta de tecnologia, no agronegócio ela também está muito presente.

Quer saber mais sobre o curso de Agronegócio? Então assista ao vídeo abaixo e fique por dentro da rotina de um estudante dessa área:

Comments

comments