Jornalismo e os desafios de uma rotina dinâmica

Por
0 0 0 Sem comentários

Se tem uma área que permite ao profissional optar por vários caminhos diferentes, esta é a comunicação. Mais especificamente, o jornalismo! Se engana quem pensa que o jornalista atua somente na televisão e em jornais, revistas ou rádios. Na verdade, diante de tanta tecnologia, com os meios digitais nos surpreendendo a cada dia, com as redes sociais BOM-BAN-DO, tem sido quase impossível desassociar o jornalista desse novo mercado digital. Vamos entender um pouquinho mais dessa profissão tão dinâmica?

Aqui já entramos na primeira característica da profissão: ela é muito dinâmica! Se você não gosta de rotina, se adora estar em contato com um montão de gente o tempo todo, conhecer pessoas e lugares novos e te dá pânico só de pensar em ficar preso no escritório o dia todo, talvez o jornalismo seja ideal para você. Mas, aqui, estamos falando da reportagem. Os repórteres, que podem trabalhar tanto em jornais, quanto em televisão, sites, blogs, revistas e rádios, não medem esforços para trazer a notícia para o público de maneira mais rápida e completa possível. Eles são geralmente muito curiosos, atentos a tudo e muito comunicativos. Você vai precisar conversar com um monte de gente diferente o tempo todo, então, no caso da reportagem, aquela pessoa falante da sala de aula terá mais chances de se dar bem.

 

Mas calma! Lembra que citamos ali em cima que o mercado do jornalismo oferece um amplo caminho de atuação? Pois é… Nem todos os jornalistas são repórteres e apaixonados por essa rotina maluca de rua. Há várias outras possibilidades como a comunicação empresarial e/ou assessoria de imprensa, por exemplo. Áreas mais voltadas ao corporativismo e empreendedorismo que, entre diversas outras funções, o profissional é o responsável em fazer a ponte de comunicação entre uma pessoa, uma empresa ou órgão público com a imprensa.

Há também a possibilidade do jornalista se especializar em um determinado assunto como política, moda, esporte, gastronomia, tecnologia, entre outros. Aqui o profissional estuda para cobrir notícias específicas da sua área de especialização. Sabe aquele repórter que acompanha feiras de games ou então semanas de moda, por exemplo? Provavelmente ele só faz esse tipo de cobertura porque foi contratado para uma editoria específica.

Bom, já citamos que o jornalista precisa ser dinâmico, curioso e comunicativo. Sabe quais outras características essenciais para quem quer seguir essa profissão precisa ter? Muita ética, estar sempre ligado às atualidades de todos os assuntos e dominar a língua portuguesa. Claro que se o profissional falar outras línguas, o mercado de trabalho se abrirá muito mais facilmente para ele. Porém, isso é para todas as profissões, né? Principalmente o inglês ou o espanhol… Se liga!

Na graduação em jornalismo, que dura 4 anos na maioria das instituições, você vai estudar português (Ah, jura?), redação, história, sociologia, teoria da comunicação, legislação e outras disciplinas que compõem a parte teórica. Porém, a parte prática também é forte no curso e logo no início o estudante terá contato com matérias em laboratórios de telejornalismo, fotografia, rádio, ciberjornalismo, entre muitas outras que coloca o acadêmico de cara com o que o mercado de trabalho vai exigir no futuro. Aliás, estágio é obrigatório e o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) muitas vezes pede um projeto experimental ou peça prática.

Tendências para a profissão

Não tem como fugir! O profissional de comunicação precisa se adaptar a essa nova realidade e estar muito antenado a todas as novidades tecnológicas que surgem diariamente. Já falamos sobre isso um pouquinho ali em cima, né?! Mas precisamos falar desse novo mercado principalmente para o jornalista que quer empreender e tomar conta da sua própria carreira. Já temos as opções dos freelancers, que não é uma novidade na profissão. Há uma galera que trabalha por conta própria e é contratado por trabalho, recebendo exatamente dessa maneira: por trabalho executado. Porém, a geração do conteúdo digital para internet, como blogs, YouTube e redes sociais, tem levado jornalistas a produzirem seu próprio conteúdo. Para isso, o profissional além de ter todas as características de um jornalista tradicional, precisa ainda entender dessa nova linguagem de internet, ter noção de empreendedorismo, ser organizado e determinado com seus horários e principalmente, estudar muito sobre termos como Google Analytcs e SEO (Search Engine Optimization), por exemplo. Mas isso é assunto para um outro post…

 

Gostou do jornalismo? É curioso, dinâmico e está sempre antenado a tudo o que acontece ao seu redor e no mundo? Então conheça mais um pouquinho da profissão dando play no vídeo abaixo:

Comments

comments