Universidade, pesquisa e inovação

Por
0 0 0 Sem comentários

Em todos os países, as universidades são consideradas como as principais fontes de desenvolvimento social e econômico. Todos os anos, estudantes em todo o mundo buscam uma qualificação profissional, por meio do acesso a cursos de graduação e de pós-graduação. A importância de um país perante os seus pares internacionais também se mede pela capacidade de formação qualificada oferecida aos seus cidadãos. Para se ter uma ideia, dados de países considerados avançados como, por exemplo, os Estados Unidos e os da Europa, apresentam relação direta entre a realização de pesquisa básica, novos produtos, inovação e melhor desempenho da economia.

A pesquisa e a inovação estão fortemente ligadas ao desenvolvimento criativo. Desta forma, os seus impactos estão fortemente presentes em uma variedade de conhecimentos produzidos, e nos novos produtos que geram mudanças e transformações benéficas para toda a sociedade, atendendo assim necessidades e melhorando a qualidade de vida. Segundo relatório da empresa Clarivate Analytics para a Capes (entidade do governo brasileiro que avalia e fomenta pesquisa e inovação no país), o impacto da pesquisa e da inovação no país cresceu 18%, entre 2011 até 2016, com projeção de até 2021 para atingir a média global mantendo-se o ritmo atual. Isso significa mais transformação econômica para o Brasil e um forte comprometimento com uma sociedade baseada no conhecimento e no bem-estar social.

Adicionalmente, os resultados produzidos colaboram com indicadores amplamente utilizados na avaliação do nível de desenvolvimento tecnológico de um país, tais como, patentes, licenças, parcerias com o setor privado (principalmente a indústria), desenvolvimento de novas competências nos estudantes, trabalho em equipe, empreendedorismo, consultoria, atividades de formação continuada e inserção social.

O mito de que pesquisadores são fechados em laboratórios desconectados da sociedade é algo que precisa ser radicalmente desconstruído. É fake! Desmistificar isso é fundamental e diversos fatores mostram uma realidade completamente diferente. Desde um bom tempo, todo projeto de pesquisa sempre veio acompanhado de indicadores de inserção social, desenvolvimento econômico e tecnológico. No Brasil, a grande maioria da produção de conhecimento e inovação se concentra em universidades públicas e privadas.

Num momento de relacionamento profissional sem fronteiras, somente uma universidade com pesquisa e inovação reconhecidas apresenta as condições necessárias para efetiva inserção internacional do seu aluno ou egresso. Estágios ou visitas de trabalho, projetos de pesquisa e iniciação científica com universidades do exterior levam o aluno e preparam o egresso para uma carreira internacional competitiva nas mesmas condições de formação dos países considerados desenvolvidos. Portanto, inovação e pesquisa são diferenciais na sociedade do conhecimento!

Escrito por: Dr. Adilson Eduardo Guelfi, pró-reitor de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão da Unoeste

Comments

comments