fbpx

Engenharia da Complexidade tem boas oportunidades no mercado

Por
0 0 0 Sem comentários

O mundo está cheio de conexões. Com isso, surgem também novas necessidades de formação profissional. Muitas carreiras são amplamente conhecidas, mas outras estão ganhando destaque agora e já estão entre as áreas mais promissoras em um futuro próximo. Exemplo dessa realidade é a engenharia da complexidade.

Aliás, você sabe o que faz esse profissional? O que é necessário estudar para se tornar esse engenheiro? Afinal, o que quer dizer complexidade em uma formação superior? Não se assuste com esta palavra! Mais abaixo você irá perceber que essa complexidade não é bem a que você conhece…

O engenheiro da complexidade tem a função de entender, verificar e propor soluções para as demandas do ambiente em que está inserido. Esse profissional é capaz de solucionar problemas complexos para enfrentar os desafios da engenharia, fazendo o uso dos conhecimentos técnicos, humanos, sociais, ambientais e econômicos.

Quer saber mais?

Se você ficou interessado em conhecer mais sobre a faculdade de Engenharia da Complexidade, então acesse o site neste link.

Abaixo, segue um exemplo simples da função do engenheiro da complexidade:

Na construção de uma via expressa que ligará uma cidade de pequeno porte a outra de grande porte, o engenheiro da complexidade deverá fazer uma análise de todos os impactos que essa obra poderá causar no local e propor soluções para minimizar as ações. Não apenas no local da construção, na estrutura, mas também o que a obra possibilitará ao seu entorno, como afetará a economia, a rotina das pessoas.

A engenharia da complexidade faz o uso de conhecimentos de outras áreas da engenharia, como a civil, a tecnológica, a mecânica, entre outras. Todos esses conhecimentos associados com a ciência.

Alguns estudiosos dizem que complexidade não está ligada a algo difícil, mas que este termo se aplica à expressão “está tecido junto”, ou seja, que tem vínculo com algo. O termo complexidade se refere ás ligações do mundo e da sociedade.

Jovem sentada em frente ao computador e na tela do dispositivo aparece diversos códigos de programação tecnológica

Foram definidos seis princípios para o entendimento dessa teoria:

Relações sistêmicas, Causalidade circular (feedback), Coexistência de opostos, Auto-organização, Incerteza e caos e Princípio hologramático.

  • Relações sistêmicas: diz que devemos analisar os eventos e suas relações e não cada um individualmente;
  • Causalidade circular (feedback): os efeitos retroagem sobre as causas até não sabermos mais o que é o que;
  • Coexistência de opostos: esse princípio diz respeito à oposição, algo que é e não é ao mesmo tempo;
  • Auto-organização: todo sistema complexo é capaz de se organizar sem a interferência de fatores externos;
  • Incerteza e caos: pequenas ações podem causar grandes consequências e vice-versa;
  • Princípio hologramático: as partes estão no todo e o todo está nas partes.

O curso

A matriz curricular do curso de Engenharia da Complexidade geralmente está atrelada com áreas correlatas, onde visa oferecer aos alunos possibilidades de estudo de forma integrada, além de fortalecer a aplicação da teoria à prática.

Quem escolhe esse curso terá disciplinas como Telecomunicações, Engenharia de Software, Computação, Inteligência Artificial, entre outras.

Se você gosta da área de engenharias e inovações, essa pode ser a sua carreira. Trata-se de uma recente proposta no processo de mudanças para a formação dos profissionais que irão transformar o mundo. A engenharia da complexidade contribui para suprir as novas demandas do mercado de trabalho.

Mas atenção, na hora de escolher a instituição para estudar, pesquise bastante e opte por uma que já tenha tradição na área de engenharia e estrutura moderna.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *