Educação inclusiva e tecnologia assistiva: Desafios na educação

Tempo de leitura: 4 minutos

Menino usando óculos de grau realiza atividade em mesa escolar, representando educação e tecnologia assistiva

Educação é um direito fundamental, ou seja, é uma garantia para todas as pessoas. Além da Constituição Federal, a Lei Brasileira de Inclusão também diz que todos devem frequentar a sala de aula do ensino regular. No entanto, para que isso aconteça, é preciso saber mais sobre educação inclusiva e tecnologia assistiva, conceitos tão importantes nas escolas. Então, se você é professor ou pretende seguir nesta carreira, fique ligado nestes temas que têm transformado a aprendizagem.

O professor na educação inclusiva

Primeiramente, é importante saber que a educação inclusiva tem como foco a igualdade de oportunidades e a valorização das diferenças. Dessa forma, ela aborda todos os tipos de diversidade, sejam elas raciais, culturais, físicas, enfim. E o professor precisa estar preparado para promover a real aprendizagem da criança incluída.

Afinal, como inserir uma criança com deficiência nas escolas? Quando o assunto é inclusão, qual o papel do professor na sala de aula? As respostas para essas perguntas já devem estar na faculdade que forma o professor.

Aliás, na educação inclusiva, todos os alunos, com e sem deficiência, convivem e aprendem juntos.

O que é tecnologia assistiva?

Quando o assunto é tecnologia, muitos profissionais da educação se afastam, não é mesmo?! Mas acontece que esse medo precisa ser superado! Afinal, a tecnologia surge para ajudar, e muito, na educação inclusiva.  

Então, voltando ao conceito deste termo, a tecnologia assistiva utiliza de recursos, serviços, estratégias e práticas para ampliar a independência de pessoas com deficiência. Em suma, o objetivo é promover também qualidade de vida e inclusão.

Tecnologia na educação inclusiva

Ao passo que você já entendeu esses termos, certamente não tem mais dúvidas da importância de oferecer o ensino para todos, né? Pensa que a educação inclusiva e a tecnologia assistiva, quando caminham juntas, elas transformam o ensino nas escolas.

Vale reforçar que os recursos e ferramentas podem ser simples. Eles vão desde livro em baile até computadores acessíveis.

Rampas de acesso, intérprete de Libras, jogos em braile, enfim. Esses recursos são os mais comuns. Porém, a cada dia surge uma nova tecnologia para facilitar ainda mais a aprendizagem e promover a inclusão.

Fique ligado!

Por exemplo, já ouviu falar do teclado virtual, criado para a pessoa que tem dificuldade em se movimentar? Ele pode ser usado na tela do computador com uma caneta especial. Tem ainda o Head Mouse, para quem não mexe os braços. Assim, esse aluno consegue usar o computador sem a ajuda de outra pessoa.

Da mesma forma, a pessoa cega pode usar um computador por meio de um sistema que reconhece o comando de voz. E também existem softwares que aproximam alunos ouvintes e surdos. Essa tecnologia faz a tradução de texto e voz da língua portuguesa para Libras.

Esses são apenas alguns exemplos de tecnologias a favor da inclusão dentro da educação. Por isso é essencial que o professor fique atento às novidades para buscar o que tem de mais moderno.

Formação para inclusão

Uma coisa é certa, a sensibilidade do professor é tão essencial quanto a técnica. Olha só a importância de perceber as dificuldades de cada criança na aprendizagem… Afinal, é preciso valorizar as diferenças, lembra?!

Pensando nisso, ainda na faculdade os futuros professores devem aprender temas como educação inclusiva e tecnologia assistiva. Assim, saem para o mercado com formação completa e ciente de todos os fatores sociais dentro da escola. E mais! O professor precisa ter uma visão que vai além…

Você sabia que quando a pessoa tem um dos sentidos prejudicados, o corpo busca outros meios para compensar? Assim, se a criança é cega, por exemplo, provavelmente ela escutará melhor. Interessante, né?! Saber disso pode mudar o futuro de alguém.

Por isso, é preciso também escolher a faculdade com ensino atual. Um curso de pedagogia, por exemplo, precisa ter matérias voltadas à educação especial, inclusão e tecnologia.

Se você quer ser professor com todos esses conhecimentos, então clique nos cursos a seguir:

Formação continuada

Escolher uma faculdade que ensina o professor a trabalhar com todas as crianças, sejam elas com ou sem deficiência, é, sim, fundamental. Mas depois de formado, também é preciso que o profissional continue estudando para contribuir ainda mais nesta área.

Assim, cursos voltados à inclusão nas escolas certamente farão diferença na carreira. Os cursos livres ou de aperfeiçoamento são mais rápidos e muitos deles podem ser feitos a distância (EAD). Conheça neste link as opções de cursos livres e aqui você confere os de aperfeiçoamento.

Agora caso queira se especializar, então procure uma boa pós na área. Acesse este link para conhecer cursos de especialização presenciais. Mas se prefere pós a distância, clique aqui.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *