Faculdade de Medicina Veterinária: excelência na formação do profissional que zela pelo bem-estar animal

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

É difícil imaginar alguém que não se beneficie com a presença de um animal. Eles já são considerados parte da família e tornam os ambientes menos vazios e promovem a interação entre as pessoas da casa.

De acordo com o Instituto Pet Brasil, existem 54,2 milhões de cães; 39,8 milhões de aves; 23,9 milhões de gatos; 19,1 milhões de peixes e 2,3 milhões de répteis e pequenos mamíferos. Para garantir o bem-estar desses quase 140 milhões de animais é fundamental a atuação do médico veterinário.

Ofertado há 33 anos, o curso de Medicina Veterinária da Faculdade de Ciências Agrárias da Unoeste é pioneiro na região e já formou mais de 3 mil profissionais. Para aqueles que desejam formação de excelência, a universidade oferece uma infraestrutura completa com ambientes inovadores e professores altamente qualificados.

Conceito MEC

A Unoeste possui conceito 4, em escala que vai de 1 a 5, conforme o último Índice Geral de Cursos (IGC) divulgado pelo Ministério da Educação (MEC). É a 3ª melhor universidade particular do estado de São Paulo e a 12ª do Brasil.

O curso de Medicina Veterinária também possui status elevado pelo órgão máximo da educação, com Conceito Preliminar de Curso (CPC) 4. Considerado excelente, está entre os 10 melhores particulares do estado de São Paulo e é o melhor da região oeste paulista.

O CPC considera quatro dimensões: desempenho dos estudantes no Enade; valor agregado pelo curso ao desenvolvimento dos estudantes concluintes (IDD); perfil do corpo docente; e a percepção do aluno sobre as Condições do Processo Formativo, obtida através do questionário do estudante no Enade. Saiba mais sobre esses e outros indicadores neste post do blog.

A Medicina Veterinária Unoeste também se destaca perante outras avaliações externas: no ranqueamento realizado pelo Quero Bolsa está entre os melhores cursos do país, e na última edição do Ranking Universitário da Folha (RUF) está entre as melhores do estado.

Metodologia de ensino

A autonomia e a curiosidade do acadêmico são estimuladas por meio das metodologias ativas de ensino e aprendizagem adotadas no curso. Essas técnicas são importantes, pois também treinam a tomada de decisão individual e coletiva.

Os estudantes são incentivados a construir o conhecimento a partir da interação com o assunto estudado, seja ouvindo, falando, perguntando, discutindo, fazendo ou ensinando. Assim, o professor atua como facilitador e moderador de todo o processo.

Essa didática ativa está fundamentada na aprendizagem significativa, na articulação entre teoria e prática, na ligação do ensino-serviço-comunidade, na transdisciplinaridade e na multidisciplinaridade.

Outras metodologias ativas também merecem destaque, como: a aula expositiva dialogada, estudo de caso, problematização, estudo baseado em projetos, infográfico, fórum, dramatização e jogos, mapa conceitual e a tempestade cerebral.

O curso também emprega a Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL – do inglês Problem Based Learning). Essa metodologia possibilita ao estudante de Medicina Veterinária vivenciar desde o início do curso atividades práticas fazendo com que busque o seu próprio conhecimento.

Sem falar, é claro, de que o ensino é pautado no desenvolvimento de habilidades e competências humanísticas que são atenção à saúde, tomada de decisões, comunicação, liderança, administração e gerenciamento, além de educação permanente.

O que vou estudar?

Para a preparação profissional, o acadêmico de veterinária tem aulas teóricas e práticas relacionadas às seguintes áreas:

• Zootecnia e Produção Animal – sistemas de criação, manejo, nutrição, biotécnicas da reprodução, exploração econômica e ecologicamente sustentável, incluindo agronegócios;

• Inspeção e Tecnologia dos Produtos de Origem Animal – classificação, processamento, padronização, conservação e inspeção higiênica e sanitária de produtos de origem animal e dos seus derivados;

• Clínica Veterinária – conhecimentos de clínica, cirurgia e fisiopatologia da reprodução com ênfase nos aspectos semiológicos e laboratoriais, visando à determinação da etiopatogenia, do diagnóstico e dos tratamentos médico ou cirúrgico das enfermidades de diferentes etiologias.

• Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Pública – conteúdos essenciais às atividades destinadas ao planejamento em saúde, epidemiologia, controle e erradicação das enfermidades infectocontagiosas, parasitárias e zoonoses, saneamento ambiental, produção e controle de produtos biológicos.

Estrutura completa

Contando com as áreas experimentais, a Unoeste soma mais de 5 milhões de metros quadrados. A Faculdade de Agrárias possui ambientes exclusivos localizados no campus II e na Fazenda Experimental da universidade. Para garantir a formação de excelência, fortalecendo o processo de ensino e de aprendizagem, a instituição oferece dezenas de laboratórios com modernos equipamentos e recursos tecnológicos de ponta.

Hospital Veterinário

No Hospital Veterinário (HV) estão atrelados ensino, pesquisa e extensão. É nesse local que o aluno vivencia a futura profissão e conhece o leque de atuação. São atendidos pequenos e grandes animais, além de animais silvestres. Fundado há 26 anos, o HV atende mais de 3,9 mil animais por ano e já se tornou referência na região do oeste paulista e nos estados do Paraná e Mato Grosso do Sul.

Os serviços são de clínica médica, cirurgia e exames laboratoriais, nos setores de patologia clínica, parasitologia, microbiologia, diagnóstico por imagem (Raio-X e ultrassonografia), anatomia patológica, anestesiologia e reprodução animal. O local também abriga o Laboratório de Simulação e Treinamento de Habilidades de Medicina Veterinária (LabSim Vet).

Fazenda Experimental

Na Unoeste, o acadêmico da Faculdade de Ciências Agrárias vai a campo, o que garante uma imersão total no conteúdo visto em sala. Essa experiência é proporcionada por meio da Fazenda Experimental que está localizada em Presidente Bernardes (SP). A propriedade possui 125 hectares, abriga experimentos agronômicos e disponibiliza a bovinocultura e bubalinocultura.

Centro Zootécnico

Localizado no campus II da Unoeste, esse ambiente proporciona ao futuro veterinário o contato com vários sistemas de produção animal, como a suinocultura, ovinocultura e caprinocultura, bovinocultura de leite e corte, estrutiocultura, avicultura, piscicultura com abatedouro, apicultura e ranicultura. Além disso, possui ainda a fábrica de ração e ordenha.

Simulação Realística na Veterinária

A Unoeste é uma das poucas instituições que possuem um espaço de simulação exclusivo aos estudantes da área, o Laboratório de Simulação e Treinamento de Habilidades de Medicina Veterinária, também conhecido por LabSim Vet. Por meio de um simulador canino e de outros simuladores, um de baixa fidelidade para a coleta de sangue feito na impressora 3D da universidade e outros que foram confeccionados pelos próprios alunos, é possível simular ações como o acesso venoso periférico, intubação, ressuscitação cardiopulmonar, lavagem gástrica, ausculta cardíaca estão entre as práticas que podem ser realizadas pelos acadêmicos.

Os horários das aulas práticas no laboratório de simulação ficam disponibilizados no aprender e o aluno visualiza qual é o tema da prática e em qual horário será oferecido. Desta forma ele pode se inscrever para participar em um de seus horários livres e as horas podem ser utilizadas como atividades complementares.

Sala Betha

A Sala Betha está localizada no campus I e é o espaço que reúne tecnologias de ponta, como: mesas interativas, realidade aumentada, holografia, peças impressas em 3D, celulares, tabletes e projetores de alta definição. Recursos que possibilitam, por exemplo, acompanhar uma cirurgia em tempo real em diferentes perspectivas.

Os cenários, dentro da metodologia proposta, começam com realidade aumentada, e sempre na mesa tem um celular, uma carta e uma peça impressa em 3D. Com o celular, o aluno vê o que tem na carta; com a realidade aumentada começa a comparar com aquilo que está vendo na mesa e com a peça impressa, assim, em 10 minutos ele já tem toda uma perspectiva em vários ângulos. A Sala Betha permite inúmeras possibilidades, integrando sempre a tecnologia e a educação.

Laboratórios para a prática acadêmica

Análises de Alimentos: permite estudos dos alimentos, tais como suas propriedades físicas, químicas, toxicológicas e ação no organismo, bem como seu valor alimentício e calórico.

Biologia Geral: traz um ambiente didático utilizado para realização de aulas práticas e pesquisas científicas voltadas para o estudo de seres vivos como animais, vegetais, fungos, bactérias e protozoários e seus constituintes (átomos, moléculas e células).

Anatomia Animal: são quatro laboratórios, sendo queo primeiro e o segundo têm como principal objetivo dar suporte aos acadêmicos em atividades de dissecação e preparo de peças anatômicas de animais; o terceiro está voltado para o museu e o preparo, enquanto, o quarto laboratório para a conservação.

Biologia Celular e Molecular: visa o estudo da vida, desde o seu surgimento, composição e constituição, até a sua história evolutiva, aspectos comportamentais, relação com outros organismos e com o ambiente.

Laboratório de Bioquímica: permite o desenvolvimento de habilidades de estudo nas reações químicas de processos biológicos que ocorrem nos organismos vivos.

Técnicas Histopatológicas e Embriológicas: possibilita que os acadêmicos identifiquem a constituição histológica, embriológica e patológica de órgãos e sistemas e os aspectos envolvidos nas estruturas e características celulares.

Entomologia: tem como objetivo gerar, adaptar e validar tecnologias ambiental e socialmente sustentáveis, de base ecológica, para o manejo de pragas (insetos e ácaros).

Genética: leva ao estudo da constituição citológica de órgãos e sistemas e os aspectos envolvidos nas estruturas celulares, os genes e os mecanismos que garantem a hereditariedade.

Citogenética: ambiente direcionado ao estudo da estrutura e função da célula, principalmente os cromossomos. Utilizam esse espaço os acadêmicos de Veterinária, além de pós-graduandos da área envolvidos em projetos científicos.

Fecundação IN Vitro: espaço dedicado à produção de embriões bovinos in vitro, obtidos por meio de aspiração folicular guiada por ultrassom de imagem. Possui aparelhos sofisticados, como destaque uma incubadora de CO² (gás carbônico) que simula a condição fisiológica do organismo, idêntica ao que ocorre em uma fecundação normal no animal in vivo, onde os oócitos são maturados e fecundados pelos espermatozoides.

Imunologia: estuda os mecanismos fisiológicos que os seres humanos usam para defender o corpo de invasão por microrganismo.

Microbiologia: permite cenários das práticas de habilidades nas áreas de bacteriologia, micologia e virologia.

Nutrição Animal: onde são realizadas análises bromatológicas em amostras diversas de alimentos (rações e ingredientes em geral) empregados em nutrição animal e de excretas, objetivando estudos de digestibilidade.

Parasitologia: onde o acadêmico adquire conhecimento sobre o exame parasitológico de sangue, parasitológico de fezes, identificação de parasitos (endo e ectoparasitas) dentre outros nas áreas de grandes e pequenos animais, animais de laboratório e silvestres.

Tecnologia de Alimentos: destina-se ao estudo das características físicas, químicas e nutricionais dos alimentos.

Fisiologia e Biofísica: amplia o conhecimento dos processos fisiológicos humanos, bem como sua relação e impacto nos diferentes órgãos e tecidos, além das atividades práticas que visam o estudo das biomoléculas constituintes do organismo, bem como os aspectos regulatórios relacionando sua importância com o estudo das doenças

Biotério de produção animal: espaço destinado à cria e recria de animais de laboratório (rato, camundongo, coelho). Essas espécies são utilizadas nas aulas da graduação, da pós-graduação (mestrado e doutorado) e nos projetos de pesquisa.

Comitês de Ética

Na Unoeste, todas as pesquisas são respaldas por comitês que garantem a realização dos estudos de forma segura, obedecendo todas as legislações e regras de cada área. Essa postura traz credibilidade aos projetos desenvolvidos.

Rede de Bibliotecas

A Rede de Bibliotecas da Unoeste conta com mais de 255 mil exemplares, além de bibliotecas virtuais com quase 18 mil títulos. Para os pesquisadores, a universidade também oferece o Portal de Periódicos da Capes, que é uma base mundialmente conhecida, com periódicos relevantes em todas as áreas do conhecimento. São 136 bases disponíveis com artigos na íntegra. Os alunos de Veterinária têm fácil acesso a unidade de informação do campus II que possui acervo aberto, ou seja, o próprio acadêmico tem acesso às obras, sala de multimídia e de estudos.

Veterinária na Prática

Desde o 1º termo, o aluno pode de acompanhar o atendimento no Hospital Veterinário em seus horários livres, no setor que mais lhe interessa, desde que exista vaga para essa atividade e o consentimento do professor responsável.

Teoria e prática caminham juntas em toda a matriz curricular da graduação. As práticas ocorrem no ambiente acadêmico, por meio dos laboratórios, Centro Zootécnico, Fazenda Experimental e Hospital Veterinário. Essas experiências também podem são realizadas na comunidade, com os projetos de pesquisa e extensão.

E não para por aí! A graduação, em parceria com o Centro Acadêmico de Medicina Veterinária Dr. José Giometti (Cagio), oferece oficinas práticas para todos os estudantes.

Projetos de Extensão

Para aproximar o futuro veterinário da comunidade e proporcionar vivências que serão importantes para a profissão, a graduação promove vários projetos de extensão. Essas iniciativas são fundamentais na promoção do desenvolvimento humanístico dos alunos, na atenção à saúde, na tomada de decisões, na comunicação, na liderança, na administração e no gerenciamento de problemas. Conheça alguns desses projetos:

Afilhado de 4 Patas – Não é novidade que o cão é o melhor amigo do homem. Mas e se essa relação for mais do que amizade?! É justamente com essa proposta que o curso de Medicina Veterinária da Unoeste desenvolve o projeto “Afilhado de 4 Patas”. A iniciativa, que é aberta aos universitários de todas as graduações da instituição, consiste em apadrinhar os animais do canil da universidade. O objetivo é que os padrinhos passeiem com os seus afilhados ao menos 2h na semana pelo campus II. A ideia deu tão certo, que todos os cães do local possuem dois estudantes responsáveis pelo momento de lazer.

Doação de Ração – Todo início de semestre a Unoeste promove o Trote do Bem, que é uma acolhida diferenciada aos calouros. Na Veterinária, os ingressantes participam de uma campanha de doação de ração que é destinada para ONGs de animais e outras instituições.

Castração é a Solução – Esse projeto da Veterinária teve início por meio de uma parceria com a entidade assistencial Casa da Sopa São Francisco de Assis, que tem sua sede no bairro Morada do Sol em Presidente Prudente. A ideia é promover o controle populacional, para minimizar problemas nas ruas, tais como transmissões de doenças, atropelamentos e a reprodução descontrolada. Atualmente, a iniciativa ocorre no Jardim Humberto Salvador.

Cagio – O Centro Acadêmico de Medicina Veterinária Dr. José Giometti, também conhecido por Cagio, é uma entidade estudantil que representa os estudantes da graduação da Unoeste. O principal objetivo é oferecer ajuda aos acadêmicos nas suas atividades diárias em parceria com os professores e a coordenação do curso. O Cagio também busca oferecer suporte e uma integração de todos, possibilitando também novas oportunidades e experiências, tanto no ramo intelectual, profissional quanto pessoal.

Ligas Acadêmicas – Sabe aquela disciplina de que você mais gosta ou assunto que desperta o seu interesse? Então, é pensando nisso que existem as ligas. Esses grupos são formados acadêmicos e professores que têm gosto em comum por algum tema específico. O principal objetivo são promover o conhecimento teórico e prático visto em sala de aula. As Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) reconhecem as atividades realizadas pelas ligas e incentiva essas ações na unidade de ensino, pois elas agregam conhecimento e valor à vida do estudante. No curso de Medicina Veterinária as principais Ligas são de Simulação, de Anatomia Patológica e de Animais Silvestres.

Qual é o diferencial do curso de Veterinária da Unoeste?

Além da infraestrutura completa, o corpo docente é formado por 100% de mestres, doutores e pós-doutores. A graduação também oferece aos alunos atividades inovadoras de ensino e aprendizagem por meio de ambientes tecnológicos, inclusive eles têm a chance de acompanhar cirurgias em tempo real diretamente do centro cirúrgico de pequenos e grandes animais.

Desde o início da graduação, os alunos mantêm contato com a futura profissão, por meio da participação em ações de extensão como a Feira de Doação de Animais e a Castração é a Solução que fortalecem a formação humanista e ética.

Outro ponto forte do curso é a abertura semestral de editais para o processo seletivo de monitoria nas disciplinas com aulas práticas disponibilizadas pelo professor responsável. Sem falar, ainda, que a Medicina Veterinária Unoeste foi a primeira do país a abrir residência na área e, hoje, contempla o aprimoramento profissional nas áreas de Clínica Médica de Pequenos Animais, Clínica Médica de Grandes Animais, Clínica Cirúrgica de Pequenos Animais, Clínica Cirúrgica de Grandes Animais, Diagnóstico por imagem, Patologia Veterinária, Reprodução Animal, Patologia Clínica e Medicina Veterinária Preventiva, Anestesiologia.

Também são desenvolvidos vários projetos de ensino, pesquisa e extensão, além da educação continuada, já que o médico veterinário tem a oportunidade de realizar especializações, mestrado em Ciência Animal e doutorado em Fisiopatologia Animal na própria Unoeste.

Localização

A Faculdade de Agrárias está localizada no campus II da Unoeste, que fica às margens da Rodovia Raposo Tavares. Com 120 alqueires, o ambiente é a maior infraestrutura de todo o complexo educacional e foi projetado com aproveitamento de grandes áreas verdes.  

Mercado de trabalho para o médico veterinário

Há 50 anos, a atuação do veterinário foi regulamentada e conta com o apoio e o direcionamento do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV). O leque de atuação é muito amplo e de acordo com a entidade são mais de 80 áreas de trabalho.

O veterinário possui um importante papel no desenvolvimento econômico e social do Brasil e também contribui com a saúde pública na prevenção de zoonoses. Sua atuação ultrapassa as paredes das clínicas e consultórios veterinários: pode trabalhar em atividades ligadas à produção dos alimentos de origem animal e é essencial na agropecuária brasileira.

Esse profissional também pode desempenhar funções como consultor, responsável técnico, docente e perito criminal, judicial e administrativo; exerce atividades em laboratórios para análise de solo, para análise da água e domissanitários – ou seja, saneantes destinados ao uso domiciliar; realiza pesquisas em alimentos; participa da produção de vacinas e de medicamentos de uso animal.

Saiba mais sobre a profissão neste vídeo:

Entretenimento na universidade

A Unoeste possui uma preocupação com a formação do acadêmico que vai além da sala de aula, incentivando em suas dependências a prática da atividade física. No campus I, o Palácio de Esportes é destaque pela sua estrutura e diversidade de atividades: abriga quadra poliesportiva, arquibancadas, salas para aulas aeróbicas, piscina semiolímpica, além Academia Unoeste.

Na universidade, o estudante é incentivado a momentos de lazer com os eventos culturais e jogos universitários. O curso de Medicina Veterinária conta com a atlética da graduação que promove treinos em várias modalidades esportivas, além de competições internas. A Associação Atlética Acadêmica de Medicina Veterinária é formada pelos estudantes com o intuito de integrar os próprios alunos, com foco na vida esportiva na faculdade, com a organização de jogos e campeonatos, além da recepção dos calouros, eventos sociais e científicos.

Suporte universitário

Olhar o aluno como um todo, em todas as suas especificidades, também é papel da universidade. É fato que existem vários fatores externos que podem interferir no aprendizado, por isso os acadêmicos da Unoeste têm outros suportes como o Núcleo de Apoio ao Estudante (NAE) e o Serviço Universitário de Apoio Psicopedagógico (SUAPp).

O NAE promove o acolhimento do estudante de forma integral em conjunto com as coordenações e os professores, fornecendo inclusive informações gerais aos pais ou responsáveis. Está presente durante todo o curso, ajudando os acadêmicos na construção de carreiras através da Central de Estágios, que tem o objetivo do ingresso deste aluno no mercado de trabalho através da divulgação de vagas para estágios e efetivas, auxiliando-os também na elaboração de currículos e dicas para entrevistas de emprego. Saiba mais no site.

Já o Serviço Universitário de Apoio Psicopedagógico visa acolher, orientar e aconselhar o acadêmico sobre as possíveis dificuldades no processo de aprendizagem. A universidade conta com psicólogas em todos os campi e o agendamento pode ser feito no site da Unoeste, Área do Aluno, na aba “Serviços”, no ícone SUAPp.

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.