Sustentabilidade em alta na engenharia elétrica

Tempo de leitura: 3 minutos

Já pensou fazer parte de um projeto que contribua com a preservação do meio ambiente? Ou ainda mais, algo que seja autossustentável na geração de energia e utiliza-se de uma fonte limpa? Nesse sentido, é preciso entender que a sustentabilidade está em alta na engenharia elétrica. Diversos profissionais são responsáveis pela construção de uma das maiores usinas solares fotovoltaicas do Brasil (modelo autoconsumo) e que fica em um campus universitário em Presidente Prudente.

Para esclarecer, esse tipo de energia solar acontece por meio de um efeito chamado fotovoltaico. Ou seja, é o manifestação de uma diferença de potencial nas pontas de material semicondutor, produzida pela fluxo da luz. Complicado, né?! Em outras palavras: é a energia que chega através da conversão direta da luz do sol em eletricidade. E você aí achando que o sol só servia para te dar aquele bronzeado, hein.

E sabe quem é um dos profissionais mais importantes nesse projeto? O engenheiro eletricista. Isso mesmo! A construção de uma usina dessa envolve um sistema elétrico complexo, pois a geração de energia é o principal objetivo. Então, este profissional é mais do que essencial para tornar tudo isso possível.

E mais! A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) destaca que o Brasil deverá ter um salto nos próximos anos. Assim, muitas casas e comércios irão adotar cada vez mais este sistema sustentável. Afinal, não dá pra mais para viver sem energia, por outro lado, queremos também preservar o meio ambiente. Olha quanto trabalho nesse sentido vindo por aí. E este é só o começo!

O que estudar para essa área?

Para você que pretende estudar nesta área, os cursos têm disciplinas voltadas na física e na matemática. Portanto, já conheça alguns conceitos básicos da engenharia elétrica: Sistemas de energia, telecomunicações e eletrônica e automação.

Para os profissionais “do futuro” na engenharia elétrica, ter uma formação computacional faz parte dos conhecimentos essenciais. Além disso, esse profissional também deve entender os problemas ambientais.

Portanto, esses engenheiros deverão ter as noções básicas que lhe permitam o tratamento das implicações econômicas e uma capacidade administrativa compatível.

Uma aposta certa, não?! Percebe-se que o engenheiro eletricista precisa estar muito atento às técnicas, mas também a tudo o que acontece no mundo, nas novas tecnologias e nos problemas ambientais do mundo.

Engenharia Elétrica: Onde trabalhar?

Antes de mais nada, esse profissional pode trabalhar na projeção e construção de usinas, estações, redes de geração de energia. Além disso, pode atuar com equipamentos dos sistemas de geração, transmissão e distribuição.

Ele é o responsável em ampliar e reparar as redes de alta-tensão. Portanto, ele também está em indústrias projetando equipamentos eletrônicos destinados à automação de linhas de produção industrial. E mais, pode criar circuitos para aquisição e transmissão de dados por radiofrequência. Como, por exemplo, informações de temperatura, umidade, pressão.

Ele também pode trabalhar na área da engenharia biomédica. Dessa maneira, ele cria e constrói equipamentos médico-assistenciais em hospitais, clínicas e laboratórios. Enfim, as possibilidades de atuação profissional são enormes!

Mais dicas

Ah, uma informação importante para você que se identifica com a Engenharia Elétrica e já sonha com os próximos cinco anos de curso. Primeiramente, verifique se existe foco no curso, como energia, telecomunicações, computação, automação, eletrotécnica, eletrônica e sistemas de potência.

Após fazer essa escolha, basta se jogar e se encantar com uma área tão ampla e promissora. Boa sorte!

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.