Universidade, pesquisa e inovação

Tempo de leitura: 3 minutos

Em todos os países, as universidades são consideradas como as principais fontes de desenvolvimento social e econômico. Todos os anos, estudantes em todo o mundo buscam uma qualificação profissional por meio de cursos de graduação e de pós-graduação. Diante disso, a importância de um país perante os seus pares internacionais também se mede pela capacidade de formação qualificada oferecida aos seus cidadãos. Portanto, nesse sentido, universidade, pesquisa e inovação caminhas juntas.

Para se ter uma ideia, dados de países considerados avançados como, por exemplo, os Estados Unidos e os da Europa, apresentam relação direta entre a realização de pesquisa básica, novos produtos, inovação e melhor desempenho da economia.

Além disso, a pesquisa e a inovação estão fortemente ligadas ao desenvolvimento criativo. Desta forma, os seus impactos estão muito presentes em uma variedade de conhecimentos produzidos, e nos novos produtos que geram mudanças e transformações benéficas para toda a sociedade. Fatos que atendem, por exemplo, as necessidades da população e melhoram a qualidade de vida.

Imagem que mostra um capelo, diploma e livro sob a mesa, representando universidade, pesquisa e inovação

Impacto da pesquisa

Conforme o relatório da empresa Clarivate Analytics para a Capes (entidade do governo brasileiro que avalia e fomenta pesquisa e inovação no país), o impacto da pesquisa e da inovação no país cresceu 18%, entre 2011 até 2016. E se seguisse o mesmo ritmo, com projeção de em 2021 atingir a média global. Em conclusão, isso significa mais transformação econômica para o Brasil e um forte comprometimento com uma sociedade baseada no conhecimento e no bem-estar social.

Com efeito, os resultados produzidos colaboram com indicadores amplamente utilizados na avaliação do nível de desenvolvimento tecnológico de um país. Dentre eles estão patentes, licenças e parcerias com o setor privado (principalmente a indústria). Além disso, colaboram com o desenvolvimento de novas competências nos estudantes, trabalho em equipe, empreendedorismo, consultoria, atividades de formação continuada e inserção social.

Sobretudo, o mito de pesquisadores fechados em laboratórios desconectados da sociedade é algo que precisa ser radicalmente desconstruído. É fake! Portanto, desmistificar isso é fundamental e diversos fatores mostram uma realidade completamente diferente. Desde um bom tempo, todo projeto de pesquisa sempre veio acompanhado de indicadores de inserção social, desenvolvimento econômico e tecnológico. No Brasil, por exemplo, a maioria da produção de conhecimento e inovação se concentra em universidades públicas e privadas.

Na universidade

Assim sendo, num momento de relacionamento profissional sem fronteiras, somente uma universidade com pesquisa e inovação reconhecidas apresenta as condições necessárias para efetiva inserção internacional do seu aluno ou egresso. Estágios ou visitas de trabalho, projetos de pesquisa e iniciação científica com universidades do exterior levam o aluno e preparam o egresso para uma carreira internacional competitiva nas mesmas condições de formação dos países considerados desenvolvidos. Portanto, inovação e pesquisa são diferenciais na sociedade do conhecimento!

Numa universidade você encontra o processo completo da educação superior: graduação e pós-graduação lato sensu (especializações e MBAs) e stricto sensu (mestrados, doutorados e pós-doutorados). Clique aqui para conhecer as oportunidades de formação superior. Mas se você já está no mercado de trabalho e procura qualificação profissional, então acesse este link.

Colaboração: Dr. Adilson Eduardo Guelfi, pró-reitor de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão da Unoeste

Comments

comments

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.